Autodomínio

“Conheça o seu inimigo como a si mesmo e não precisa temer o resultado de cem batalhas”.

A célebre frase de Sun Tzu, autor de “Arte da Guerra”, um livro com grandes ensinamentos sobre estratégia nos dá uma lição valiosa sobre onde reside o principal inimigo do ser humano: seu próprio interior.

Dominar as próprias paixões é o caminho para a vitória sobre si mesmo. Essa é a descrição da virtude do autodomínio, tida como a mais simples entre as virtudes cardeais, pois demanda mais boa vontade do que inteligência. Sua complexidade, porém, está na prática, uma vez que requer disciplina para dominar os próprios instintos e controlar o apetite do prazer.

O teste do marshmallow realizado com crianças entre 4 e 6 anos na Universidade de Stanford na década de 60 é um ótimo exemplo da tendência natural do ser humano de buscar sempre satisfazer seus desejos. Neste caso, o doce (tanto quanto a comida), cumpre um papel que vai além de saciar nossa fome; é fonte relativa de prazer. E enquanto o alimento é uma fonte de energia, um meio para um fim específico – a realização de nossas atividades cotidianas – , está tudo bem.

Porém, há uma linha tênue que é atravessada quando o prazer deixa de ser meio e passa a ser fim. A razão cede ao corpo. O desejo vence a inteligência.

É na batalha dessas 2 forças da natureza humana que o autodomínio faz a diferença.

A que prova de fato vocês acham que as crianças do teste do marshmallow estavam sendo submetidas?

Não será surpresa portanto a advertência de Aristóteles de que o autodomínio deve ser ensinado desde a infância, educando a criança a moderar os seus desejos.

Mas, com um cunho tão pessoal, que diferença faria o autodomínio na vida profissional?

Para quem aspira à Liderança, é necessário aprender a dirigir a si próprio, antes de dirigir os outros. Ou como diz Peter Drucker, no seu extenso trabalho sobre Liderança: “Já não ensino a dirigir as pessoas no trabalho… Ensino, sobretudo, domínio próprio”.

A falta de autodomínio prejudica a inteligência, na medida em que obscurece a luz da razão. Quem se lança à busca do poder, do dinheiro ou do prazer desenfreadamente perde o contato com a realidade. É muito improvável que essa pessoa demonstre algum tipo de interesse pelo bem comum e de respeito pela dignidade dos que estão ao seu redor.

Sem autodomínio dificilmente se pratica a magnanimidade ou a humildade. A pessoa obcecada pelo seu poder, pelos seus bens e prazeres considera a vida como um acúmulo de sensações. Perde o sentido de missão e o sentido de serviço. Sua fortaleza é também minada, pois não consegue resistir às pressões para manter seu rumo original.

A função do autodomínio é portanto a de regular nossos desejos, moderar nossa conduta geral.

O desejo por mais responsabilidade (poder), retorno financeiro (dinheiro), reconhecimento profissional (prestígio) são motivações poderosas para uma carreira bem-sucedida. Mas, qual será sua justa medida? No autodomínio temos a resposta.

Como desenvolver então esta capacidade de dominar nossos próprios desejos, de sermos senhores da nossa vontade?

Aplicando as lições do teste do marshmallow em nossas vidas, ou melhor, aprendendo o valor da “gratificação adiada”, sabendo resistir à tendência natural da satisfação imediata, da recompensa “aqui e agora”.

O “músculo” da vontade é o que está por detrás do autodomínio. Como em qualquer série de malhação, a recomendação é sempre se começar com “pesos pequenos”.

Uma tarefa importante mas que acaba sempre sendo adiada ou trocada por algo mais prazeroso é um belo começo. E se essa ação trouxer benefícios para o outro, o incentivo para continuar será grande.

Eis alguns exemplos:

Para Pais

  • Contar uma estória para seu filho/sua filha antes de dormir, abreviando o tempo de navegação nas redes sociais

Para Jovens

  • Se oferecer para um passeio com o avô ou a avó, diminuindo o tempo jogando videogame online com os amigos

Para Gestores

  • Convidar para um almoço de “networking” alguém de quem você menos imaginaria aprender, mas a quem talvez tenha mais a ensinar

Outros exemplos são bem-vindos!

Continue sonhando grande (pratique Magnanimidade), empenhando seus melhores talentos em benefício dos outros (aspire Humildade), resistindo a todas as pressões com firmeza de propósito (cultive Fortaleza), senhor(a) dos seus próprios desejos (desenvolva Autodomínio). A essência da Liderança é o caráter!

Gema – TW, transformando potencial em resultados.