Eis um imperativo para todo ser vivo.

Essa é uma das primeiras lições que aprendemos em Ciências. Todo ser vivo nasce, cresce, se multiplica e morre. Esse é o ciclo da vida.

Portanto, está gravada na natureza do ser humano a força para o crescimento. E não falo apenas no sentido físico. Isso vale para o mental, emocional, espiritual também.

Crescer como pessoa – ser melhor nas funções que se desempenha, sejam elas de pai, mãe, filho(a), profissional, praticante de um hobby ou esporte entre outras – é um desejo de todos. Está na nossa essência!

Por que será então que paramos de crescer? Ou pior, por que será que evitamos as oportunidades de crescimento?

Uma possível resposta: MEDO

Essa emoção poderosa que em doses potentes nos coloca em rota de fuga, postura de luta, ou nos paralisa.

Mas, nesse texto abordo o medo no cotidiano, não naquelas situações de ameaça real ou risco de vida.

Dependendo do seu perfil comportamental, o medo vai se manifestar de diferentes formas:

  • Medo de perder ou ser passado pra trás
  • Medo de ser reprovado socialmente
  • Medo do que vai acontecer no futuro
  • Medo de errar

Identificou o seu?

Quem conhece a metodologia DISC de análise comportamental já fez a associação de cada medo a um dos quatro aspectos do comportamento: dominância, influência, estabilidade, conformidade.

Mas, o que “esses medos” fazem com a oportunidade de crescimento? 

  • Resistem à oportunidade, ou melhor, lutam contra ela
  • Deixam a oportunidade passar; afinal o que será que as outras pessoas vão falar se você falhar?
  • Nada! Pois ainda não se está pronto(a) para a mudança; não se sabe o que pode acontecer lá na frente
  • Pede mais informações, exige provas, evidências de que a oportunidade é boa

E o crescimento então não acontece!

Recentemente em um artigo sobre “Truques mentais para aumentar a resistência de atletas” (link para texto em inglês), li que nosso cérebro está programado para a autopreservação. É por isso que em uma situação de exercício extenuante, nosso desempenho tende a cair porque o cérebro emite sinais para os nossos músculos de que não vale a pena continuar.

Não é que paramos o exercício porque nossos músculos não aguentam mais; é o esforço requerido para continuar que supera a nossa vontade de avançar. Portanto, não é o físico que se esgota primeiro, mas a mente.

Pesquisas já comprovaram que imagens positivas ou bons pensamentos têm impacto significativo no desempenho de atletas em provas de resistência, como maratonas, ciclismo de estrada.

O que pode então nos ajudar a lidar com o medo e seguir na trajetória de crescimento?

Um melhor gerenciamento de emoções, sem dúvida. Aprender a equilibrar o medo com uma postura otimista, por exemplo.

É curioso que muitas pessoas assumem que o otimismo ou o pessimismo é uma característica pessoal. Não é! Trata-se de comportamento que você desenvolve. Tanto um quanto outro. E quem afirma é a autoridade em Psicologia Positiva, Martin Seligman.

Permanecer esperançoso e resiliente mesmo diante de eventuais adversidades é a descrição para uma postura otimista. Isto leva alguém a agir pela esperança do sucesso e não pelo medo do fracasso.

Dá pra continuar crescendo assim? Vá com tudo então! Já passamos do Carnaval!

Mas, se precisar acelerar o crescimento, fale com a Gema-TW. Aceleramos aprendizado!