Magnanimidade

Em 2002 tive o privilégio de realizar um sonho acalentado pelo meu pai durante muitos anos. Concluindo uma temporada de trabalho em Nova York, levei meu pai no dia 16 de junho, dia de seu aniversário e dia dos Pais* naquele ano, para conhecer a prestigiada Escola de Engenharia do MIT – Massachussetts Institute of Technology.

A visão do “Dome” é realmente imponente com suas pilastras exibindo nomes de grandes cientistas da história da humanidade.

Arquimedes, Newton, Pasteur, Lavoisier, Darwin …

Não sei se o arquiteto do prédio teve em seu projeto esse objetivo, mas nos sentimos pequenos olhando para os nomes destes homens gravados no topo daquelas pilastras. Suas obras foram gigantescas. Suas contribuições perduram até hoje!

O que os moveu em suas pesquisas? O que pretendiam alcançar? Qual era sua missão de vida?

Talvez as respostas para estas perguntas fossem de difícil compreensão para as pessoas daquela época. Estas mentes brilhantes enxergavam um horizonte muito além do que poderia alcançar o homem comum.

Mas, será esta a realidade nos dias de hoje?

Qual será o “gap” de conhecimento entre um cientista trabalhando nos laboratórios mais renomados no mundo e um jovem completando o ensino médio em uma escola de ponta? Arrisco dizer que este “gap” está no nível mais baixo em uma série histórica.

Qual será então a matéria-prima para grandes feitos na humanidade nestes tempos que vivemos?

M A G N A N I M I D A D E   é a nossa aposta!

Palavra desse tamanho parece mais adequada ao vocabulário Alemão do que o Português. Mas, é assim mesmo que se escreve. Do Latim Magnanimitas, do Grego Megalopsychia. Sua definição clássica: a tensão do espírito para as coisas grandes.

É magnânimo todo aquele que procura a grandeza e se esforça por estar à altura dela.

A magnanimidade nos permite corresponder à nossa vocação, realizar a nossa missão, estabelecer objetivos pessoais elevados para nós mesmos e para os outros.

Mas, esta “mania de grandeza” não gera arrogância, porque a magnanimidade vem sempre acompanhada de humildade no exercício da liderança. Se a magnanimidade é a origem das ambições nobres, a humildade canaliza essas ambições para o serviço aos outros. São virtudes inseparáveis.

Pode-se achar que o mundo dos negócios não seja um ambiente propício para uma liderança magnânima. Mas, é!, especialmente onde o lucro é um elemento necessário da empresa, porém resultado do esforço pessoal para realização coletiva de algo nobre e útil.

Algo nobre e útil, essa é a descrição típica do conteúdo da missão das empresas. Mas, infelizmente, estas declarações acabam apenas enfeitando a sala de recepção de visitantes em muitas empresas. Só que têm o potencial de conectar as pessoas a um sonho, a uma visão, de gerar a tensão saudável para o engrandecimento pessoal e coletivo.

Como diz Stephen Covey, autor do best-seller Os Sete Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes, “a missão de uma empresa, que reflete de modo verdadeiro a maneira de ver e os valores compartilhados e profundos de todos os que nela trabalham, cria uma grande unidade e um enorme compromisso. Cria um marco de referência no coração e na mente das pessoas, um conjunto de critérios ou diretrizes que hão de guiar os seus trabalhos”.

O que poderia então despertar a magnanimidade nas pessoas? Uma missão!

A nível pessoal pode exigir um aprofundamento que talvez o ser humano comum não esteja disposto a investir o tempo nele. Por incrível que pareça, “qual é a sua missão?”, “qual é a sua vocação?” são perguntas que geram mais resistência do que reflexão nas pessoas.

E se esta missão for coletiva? É aí que faz a diferença a liderança.

O líder magnânimo tem a capacidade de despertar nas pessoas o desejo de desenvolver ao máximo seu potencial, como indivíduo e profissional. Para a realização de uma missão. Para o progresso de uma empresa. Para o avanço de uma sociedade.

Para grandes feitos na humanidade, precisamos de líderes magnânimos, aqueles que aspirem grandeza e se coloquem à serviço dos outros.

Lendo no início deste texto nomes de grandes cientistas, o leitor pode duvidar de que tenha espaço nas mesmas linhas. Mas, este é o nosso objetivo: convencê-lo disso!

Se nem todo mundo pode chegar a ser um grande cientista, todos podem crescer em virtudes**, a matéria-prima da liderança. 

A magnanimidade com humildade combina Grandeza com Serviço. Seja sua liderança como pai, mãe, profissional ou cidadão, imbuída destas duas virtudes, você será capaz de realizar tarefas ordinárias de forma extraordinária.

Imaginem o resultado coletivo! Grandes feitos serão realizados, talvez não merecedores de um Prêmio Nobel, mas suficientes para gerar um bem duradouro para a sua família, seu bairro, sua empresa, sua cidade, seu país, em última instância, para a humanidade.

Qual é o seu sonho para sua empresa? Qual é o seu sonho para sua família? Qual é o seu sonho para sua cidade? Qual é o seu sonho para seu país?

Pratique magnanimidade: sonhe grande! Aspire humildade: viva para servir!

Gema – TW, transformando potencial em resultados.

(*) Nos Estados Unidos o dia dos Pais é comemorado no 2o fim-de-semana de Junho.

(**) Se o tema de virtudes é de seu interesse, recomendamos a leitura do livro “Virtudes e Liderança” de Alexandre Havard da Editora Quadrante